top of page
Cabeçalho capinha_edited.png

Seca e temperaturas altas impactam zona da soja

O Brasil continua a vivenciar cenários climáticos divergentes

O Brasil continua a vivenciar cenários climáticos divergentes, evidenciando disparidades nas condições meteorológicas em diferentes regiões do país. Nos últimos dez dias, áreas abrangendo o Norte, Nordeste, parte do Sudeste e a maior porção do Centro-Oeste experimentaram níveis de chuva acumulada entre 10% e 80% abaixo da média para o período. Em contrapartida, no Sul, a precipitação manteve-se em patamares elevados, alcançando volumes de 200% a 300% acima da média em algumas regiões do Paraná, conforme monitoramento das áreas de lavouras de soja realizado pela EarthDaily Agro, uma empresa de sensoriamento remoto que utiliza imagens de satélites.


Os modelos de previsão climática europeu (ECMWF) e americano (GFS) apontam para a expansão da seca em direção ao Centro-Oeste e Sudeste do país. Prevê-se uma redução da umidade do solo em estados como Minas Gerais, São Paulo, Mato Grosso do Sul e Paraná. Entretanto, neste último estado, a diminuição da umidade do solo é vista como favorável para o progresso das operações de campo. Em contraste, no Mato Grosso, Goiás, norte do Mato Grosso do Sul e na região do MATOPIBA, a queda da umidade do solo é motivo de preocupação.


No Rio Grande do Sul, a umidade excessiva apresenta desafios, impactando não apenas o avanço do plantio da safra de verão, mas também podendo afetar a produtividade do trigo

bottom of page