Vencedoras do Prêmio Mulheres do Agro falam sobre sustentabilidade na gestão

Mara Motter, Clarisse Volski e Luciana Dalmagro ficaram em 1º lugar nas categorias pequena, média e grande propriedade


Vencedoras do Prêmio Mulheres do Agro falam com exclusividade em live da GR (Foto: Reprodução/YouTube)

A 3ª edição do Prêmio Mulheres do Agro, realizado por Associação Brasileira do Agronegócio (Abag) e Bayer, anunciou nesta terça-feira as nove mulheres vencedoras (veja a lista a seguir) entre as mais de 200 histórias que estavam concorrendo.


À tarde, após a divulgação das campeãs durante Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio, três delas participaram live da Globo Rural onde falaram, com exclusividade, sobre a importância da conquista do prêmio.


Mara Motter garantiu a 1ª posição na categoria Pequena Propriedade. Na cidade Três Arroios (RS), a produtora de 31 anos é proprietária da Granja Motter & Cia, após passar por um processo de sucessão familiar nos negócios, que já têm 30 anos. Mara assumiu a propriedade aos 19 anos, quando poucos acreditavam no seu potencial.

“Sempre com muita garra e determinação, com meu pai ao meu lado me apoiando, eu cresci. Aprendi com tombos, tropeços, mas ao longo do trajeto muitas pessoas me deram a mão e me ajudaram a conseguir os avanços”, diz ela, ao lembrar que contou com a ajuda de diversas mulheres durante a transição para gestão.


Atualmente, além da granja, Mara trabalha com trigo, algodão, soja, milho, suínos e realizou a vontade de também atuar com pecuária bovina. “São apenas 50 cabeças, ainda é pouco, mas aconteceu, saiu do papel”, conta. Ela também criou o grupo Unidas Pelo Agro, que atualmente conta com 19 mulheres.

Média propriedade


Na categoria Média Propriedade, a vencedora é Clarisse Volski, paranaense da cidade de Pitanga e proprietária da fazenda Agropecuária Santa Rita. Depois de começar os negócios em oito alqueires, ao lado do marido, Clarisse conta com orgulho que hoje administra a propriedade com soja, milho, pecuária, aves, suínos, piscicultura, além de 120 cabeças de gado leiteiro, em mais de 120 alqueires.


Ela diz que tem afinidade com a administração, mas admite que precisa ter pulso firme para avançar com a sustentabilidade, pois inovar nem sempre é fácil, apesar de os resultados valerem a pena. “Sempre com muita determinação, às vezes enfrentando adversidades, conseguimos alcançar os pilares social, ambiental e econômica, inclusive por conta da sucessão familiar”, afirma.


Graças à insistência em inovar, Clarisse colhe os frutos. A Agropecuária Santa Rita foi reconhecida pela integração lavoura, pecuária e floresta, investimento em energia solar, reaproveitamento de águas pluviais e produção de orgânicos, tudo com mão de obra familiar.


Grande propriedade


Luciana Dalmagro foi escolhida pelo campo. Farmacêutica com mestrado na área, ela se apaixonou pela vida rural, assumiu a propriedade dos pais e agora carrega o troféu de vencedora da categoria Grande Propriedade.


Da cidade de Batatais (SP), ela conta que é a quarta geração que colhe frutos em um terreno que antes era administrado pela sua bisavó, em 1920. Ao seguir os passos da antepassada, Luciana hoje lidera o principal negócio da fazenda: a avicultura de corte para exportação e, simultaneamente, pilares de inovação e sustentabilidade.


“O desafio da sustentabilidade só não enxergou ainda quem não quer, mas é a grande bola da vez quando a gente fala de mercado global”, destaca. Como exemplo, Luciana gera a própria energia por meio de placas fotovoltaicas, capta e reutiliza 3 milhões de litros de água da chuva e também faz a biocompostagem dos resíduos em maquinário.


Confira as premiadas


Pequena Propriedade 1°- Mara Motter (Três Arroios,Rio Grande do Sul) 2°- Simoni Tessaro Niehues (Serranópolis do Iguaçu, Paraná) 3° - Tatiele Dalfior Ferreira (Governador Lindenberg, Espírito Santo)


Média Propriedade 1°- Clarisse Liana Weber Volski (Pitanga, Paraná) 2°- Michelle Rabelo de Morais (Pato de Minas, Minas Gerais) 3°- Kamila Laida Guimaraes Aguiar (Rio Verde, Goiás)


Grande Propriedade 1° - Luciana Dalmagro (Ribeirão Preto, São Paulo) 2° - Simone Felisbino (Rio Verde, Goiás) 3° - Flávia Montans (Rio Verde, Goiás)


28/10/2020


Original: https://revistagloborural.globo.com/Premio-Mulheres-do-Agro/noticia/2020/10/vencedoras-do-premio-mulheres-do-agro-falam-sobre-sustentabilidade-na-gestao.html

JUNTOS SOMOS MAIS FORTES.

  • Instagram - White Circle
  • Facebook - Círculo Branco

© 2020 Unimassey. Todos os direitos reservados.