top of page
Cabeçalho capinha_edited.png

Estoque público: Conab vai comprar 500 mil toneladas de milho

Produtores de Goiás, Bahia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná e Tocantins estão autorizados a vender milho para o governo federal

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) vai comprar de 500 mil toneladas de milho de produtores rurais por meio do mecanismo de Aquisições do Governo Federal (AGF), previsto na Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), equivalente a aproximadamente 8,3 milhões de sacas de 60 quilos do cereal.


A medida foi autorizada pelo Ministério da Agricultura e Pecuária (Mapa).


Após seis anos, o governo retoma a aquisição de produtos para a formação de estoques públicos.


“A Conab está retomando a formação de estoques públicos, incentivando os agricultores a plantar e garantindo o preço mínimo para a produção. Apesar da previsão de uma safra recorde de milho, os preços estão em queda. Portanto, iniciaremos a compra do milho. Com essa ação da Conab, combatemos a inflação dos alimentos, buscando levar comida à mesa de todos os brasileiros”, diz o presidente da Conab, Edegar Pretto.


A retomada da formação de estoques públicos pelo governo federal foi anunciada nesta quinta-feira (29) pelos ministros Carlos Fávaro (Agricultura e Pecuária) e Paulo Teixeira (Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar), juntamente com o presidente da Conab.



Venda de milho para o governo


Os produtores de Goiás, Bahia, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Paraná e Tocantins estão autorizados a vender milho para o governo federal.


De acordo com o Manual de Operação da Companhia, o limite de venda por produtor varia de acordo com o estado.


Em Mato Grosso, cada agricultor poderá vender até 30 mil sacas para a estatal.


Já em Mato Grosso do Sul e Goiás, o limite é de 10 mil sacas, enquanto nos demais estados a aquisição está limitada a cerca de 3,3 mil sacas.


A Conab concluirá a compra somente se o produto atender aos padrões exigidos.


O milho adquirido poderá ser armazenado nos armazéns da própria Companhia ou em unidades de armazenamento credenciadas.


A compra foi autorizada pelo Mapa devido à queda no preço do milho no mercado interno.


A previsão de uma produção recorde no Brasil na segunda safra, aliada à valorização do real em relação ao dólar, entre outros fatores, reforça o cenário de desvalorização das cotações do grão, especialmente no segundo semestre deste ano, quando haverá uma grande oferta do produto no mercado mundial devido às colheitas nos EUA, Europa e Brasil.


Os interessados em vender milho para a Conab devem estar cadastrados no Sistema de Cadastro Nacional de Produtores Rurais (Sican) e devem entrar em contato com a regional da Conab em seu estado para obter orientações sobre o preenchimento dos formulários necessários para a operação, bem como a apresentação de documentos adicionais, se necessário.


bottom of page