top of page

BNDES reabre linhas e anuncia mais crédito rural para safra 22/23

A reabertura prevê mais R$ 2,9 bilhões em apoio tanto à agricultura familiar (R$ 491 milhões), quanto à empresarial (R$ 2,4 bilhões)

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) anunciou nesta quinta-feira (26) a reabertura de de linhas de crédito rural a partir de 1° de fevereiro e, com isso, prevê a liberação de recursos adicionais de 2,9 bilhões de reais para financiamento da safra 2022/23.


A medida veio após suspensão de protocolos e contratações de novas operações de crédito no âmbito dos Programas Agropecuários do Governo Federal (PAGF), no segundo semestre de 2022, em razão do nível de comprometimento de recursos.

Do total, R$ 491 milhões vão para agricultura familiar e R$ 2,4 bilhões para a agricultura empresarial.


Segundo o BNDES, os recursos se destinarão aos programas:

  • Programa Crédito Agropecuário Empresarial de Custeio;

  • Programa Crédito Agropecuário Empresarial de Investimento;

  • Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – PRONAF Custeio, no tocante à linha de crédito com taxa de juros prefixada de até 6% a.a. (seis por cento ao ano) – PRONAF Custeio Faixa II;

  • Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar – PRONAF Investimento;

  • Programa Nacional de Apoio ao Médio Produtor Rural – PRONAMP Custeio e Investimento;

  • Programa para a Adaptação à Mudança do Clima e Baixa Emissão de Carbono na Agropecuária – Programa ABC;

  • Programa para Construção e Ampliação de Armazéns – PCA;

  • Programa de Incentivo à Inovação Tecnológica na Produção Agropecuária – INOVAGRO;

  • Programa de Financiamento à Agricultura Irrigada e ao Cultivo Protegido – PROIRRIGA;

  • Programa de Modernização da Frota de Tratores Agrícolas e Implementos Associados e Colheitadeiras – MODERFROTA;

  • Programa de Desenvolvimento Cooperativo para Agregação de Valor à Produção Agropecuária – PRODECOOP; e

  • Programa de Capitalização de Cooperativas Agropecuárias – PROCAP-AGRO Giro.




Comentarios


bottom of page